quinta-feira, 30 de abril de 2009

O LIVRO DOS DISPARETES - com os limeriques da Tatiana

OS "LIMERICK" SÃO POEMINHAS

QUE SEMPRE SÓ TEM TÊM CINCO LINHAS,

CONTANDO, RIMADOS,

UNS "CAUSOS" GOZADOS:

ESTÓRIAS BEM PIRADINHAS.

PRÊMIOS

1960 - Melhor Escritora de TV, Revista Manchete;
1978 - “Mérito Educacional”, EXPO ESTUDANTIL, CBL (Câmara Brasileira do Livro);
1979 - Prêmio APCA por 30 anos de atividades em Teatro e Literatura Infanto-juvenil (Associação Paulista de Críticos de Artes) – 1979;
1982 - Prêmio Fernando Chinaglia, “Personalidade Cultural da UBE” (União Brasileira de Escritores) ;
1988 - Prêmio homenagem da 4° Bienal Nestlé de Literatura Brasileira na área de Literatura Infanto-Juvenil;
1988 - Prêmio “Monteiro Lobato”, de tradução, da FNLIJ – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (por “Salada Russa”);
1989 - Prêmio Jabuti, da CBL, (Câmara Brasileira do Livro) de “Personalidade Literária do Ano”;
1990 - Prêmio “Monteiro Lobato”, de Tradução, da FNLIJ (por “Di-versos Russos”);
1991 - Premio ABRINQ – Homenagem da associação brasileira de fabricantes de brinquedos – Fundação ABRINQ pelos direitos da criança .

quarta-feira, 22 de abril de 2009

ENTREVISTA

Tatiana Belinky fala sobre Tatiana Belinky


O que ela não diz, porém, é que é uma mulher jovem e apaixonada, nos seus 90 anos de idade. O que ela não diz é que fala vários idiomas, e todos suavemente. (Fala russo, alemão, idiche, inglês, francês ... E que aprendeu a ler com quatro anos de idade). O que não diz é que as crianças a adoram hoje e sempre. Quando Tatiana conta estórias infantis, quando senta-se no meio delas, as crianças acham que estão ao lado de uma amiga mais velha, uma irmã, e nunca uma avó.



Tatiana é uma mulher expressiva, quente e criativa.Por todos esses dotes conseguiu escrever, na maior das calmas, nada menos que 100 livros, sempre destinados a jovens e principalmente a crianças.Tatiana se expressa não só através do que escreve, mas fala com os olhos, com as mãos, com a vivacidade de todo o seu ser.



Devoradora de livros desde a infância, apaixonou-se por Monteiro Lobato quando o leu e quando o conheceu pessoalmente. Esteve em várias emissoras de televisão de São Paulo, como TV Bandeirantes, Cultura, Paulista (que mais tarde se tornou Globo). Tatiana também tem seus livros traduzidos em vários idiomas . E entre livros, vive Tatiana, a mulher-menina, sonhadora e alegre sempre.



TATIANA BELINKY




"Porque, para quem sabe prestar atenção em cada pequena coisa que acontece - ou não acontece, é só pensada ou imaginada -, a vida de todos os dias é cheia de coisas bonitas, alegres, tristes, intrigantes, interessantes...É só cada um usar os seus "olhos de ver", sabiam?"





Tatiana Belinky

ALGUMAS OBRAS





























OBRAS

A escritora Tatiana Belinky entende, como poucos em nosso país, do universo infanto-juvenil. Já ultrapassou a marca de 120 livros publicados e é um exemplo e tanto para quem começa agora a trilhar a carreira das letras.
Para tanto sucesso, ela faz questão de dizer que "não há receita pronta". Mas dá os ingredientes fundamentais para que seja desenvolvida a criatividade. O primeiro passo é se dedicar à leitura. "Leia o que tiver prazer em ler e leia muito. Quanto mais você fizer isso, mais sua escrita vai fluir. Naturalmente", garante. Outra dica da especialista é ver a vida com olhos cheios de curiosidade. "O cotidiano, as pessoas ao seu redor, tudo pode ser assunto. Basta que você observe e consiga transmitir a sua visão sobre aquele fato. É assim que começa o processo criativo", conta.
Quando as idéias surgirem, ela garante que o melhor a fazer é vencer o medo e tentar. "Se você tem vontade de escrever, vá em frente. Escreva para você mesma e divirta-se. Eu comecei escrevendo para a gaveta, sem intenção alguma de publicar. Com o tempo surgiram as oportunidades e eu as aproveitei. É com a prática que o texto vai amadurecendo", ensina.
De sua vasta obra, destacam-se "Coral dos Bichos", "Limeriques", "O Grande Rabanete", "Di-versos russos", "Limerique das Coisas Boas", entre outros.

Nestes últimos anos, Tatiana Belinky tem também publicado livros de crônicas e memórias.

Fonte: Revista Atrevida, junho de 2003

BIOGRAFIA




Tatiana Belinky


É uma das mais importantes escritoras infanto-juvenis contemporâneas. Embora russa, está radicada no Brasil há oitenta anos.


Nasceu em São Petersburgo (Rússia) no dia 18 de março de 1919. Chegou com a família ao Brasil aos dez anos de idade, fugindo das guerras civis que assolavam a então União Soviética. Nesta altura, Tatiana já falava russo, alemão e letão.


Aos dezoito anos, após concluir um curso preparatório, começou a trabalhar como secretária-correspondente bilíngüe, nos idiomas português e inglês. Aos vinte ingressou no curso de Filosofia da Faculdade São Bento, mas abandonou-o em seguida, quando casou-se com o médico e educador Júlio Gouveia. O casal tem dois filhos.


No ano de 1948, começa a trabalhar em adaptações, traduções e criações de peças infantis para a prefeitura de São Paulo em parceria com o marido. Em 1952 encenam "Os Três Ursos" em pedido da TV Tupi, que atinge grande sucesso. O êxito deste trabalho foi definitivo para a carreira da escritora iniciante: o casal é convidado a ter um programa fixo na emissora. Dentro da casa, Tatiana e Júlio fazem a primeira adaptação de o "Sítio do Picapau Amarelo", de Monteiro Lobato. O trabalho do casal na Tupi seguiria até 1966. Neste ínterim, Tatiana Belinky recebe seus primeiros prêmios como escritora, além de tornar-se presidente da CET (Comissão Estadual de Teatro de São Paulo).


Em 1972 passa a trabalhar na TV Cultura e em grandes jornais do estado de São Paulo, como a Folha de São Paulo, o Jornal da Tarde e O Estado de São Paulo, escrevendo artigos, crônicas e crítica de literatura infantil.


Finalmente, em 1985, Tatiana Belinky desponta como escritora de livros, colaborando em uma série infanto-juvenil. Em 1987 publica o primeiro livro: "Limeriques", pela editora FTD, baseando-se nos limericks irlandeses. A partir desta publicação, Tatiana passa a trabalhar fervorosamente sobre novas criações, chegando a escrever mais de cem obras. Suas publicações são acompanhadas por vários prêmios literários, entre eles o célebre Prêmio Jabuti, recebido em 1989.